Homem que espancou mulher grávida até a morte em Poço José de Moura estava trabalhando em escola de São Paulo

Share:

O homem acusado de espancar a companheira grávida até a morte em Poço José de Moura estava trabalhando na reforma de uma escola na cidade de Rio Grande da Serra, região metropolitana de São Paulo, após fugir da Paraíba.

O crime ocorreu há exatos três meses, no dia 7 de setembro, e causou revolta na cidade. No primeiro momento, Hélio José foi liberado pela polícia porque não havia indícios suficientes para a prisão em flagrante pela morte de Pâmela Bessa, de 28 anos.

Assim que as provas foram reunidas, porém, a polícia iniciou a busca por Hélio José, que havia fugido. De acordo com o delegado seccional de Cajazeiras, Glauber Fontes, a polícia recebeu denúncias de que o homem estaria trabalhando na reforma de uma escola em Rio Grande da Serra. Após pesquisa, foi descoberto que havia quatro escolas em reforma naquela região e realizou-se contato com a Polícia Civil da cidade, que em diligências nas escolas, encontrou o acusado.

Hélio José foi preso na última sexta-feira (4) e deve ser transferido para Cajazeiras, onde cumprirá pena.

O delegado Glauber Fontes agradeceu o apoio da Polícia Civil de São Paulo e destacou que o caso deixa uma importante lição. ''O indivíduo pode até cometer um crime no interior da Paraíba e tentar se esconder em São Paulo, mas a Polícia civil tem os instrumentos para encontrá-lo e prendê-lo'', afirmou.

CLICK PB