Corpo de oficial de Justiça tinha sinal de enforcamento e Polícia Civil da Paraíba deve divulgar laudo da morte em 15 dias

Share:

A Polícia Civil da Paraíba informou ao ClickPB que deve ser divulgado em 15 dias o laudo sobre a morte do oficial de Justiça Eduardo Barbosa das Chagas. Ele foi encontrado morto nesta terça-feira (28) no bairro Cabo Branco, em João Pessoa, após ficar dias desaparecido.

Segundo informações da Polícia Civil ao ClickPB, "o caso segue sendo investigado pela Delegacia de Crimes Contra Pessoa de João Pessoa. A Polícia solicitou perícias técnicas no  corpo encontrado nesta manhã. Os laudos deverão ser divulgados em 15 dias, podendo o prazo ser prorrogado se houver necessidade de mais exames. A Polícia aguarda a conclusão das perícias para se manifestar sobre o caso."
O corpo dele foi localizado em uma mata, durante buscas realizadas pela Polícia Civil e Corpo de Bombeiros que usaram cães farejadores no trabalho. O cadáver estava em local de difícil acesso, nas imediações de uma rua que liga os bairros do Altiplano e Cabo Branco.
Eduardo estava desaparecido desde o último dia 22 de abril, quando foi visto saindo de uma residência, no bairro de Cabo Branco. Desde que foi informada do caso, a equipe da Delegacia de Crimes Contra Pessoa da Capital (DCCPES/JP) estava em diligências para localizar o oficial.
"Desde a última sexta-feira, agentes da DCCPES vinham realizando diligências, coletando imagens de câmeras de segurança, entrevistando familiares e realizando busca domiciliar, para descobrir o paradeiro do até então desaparecido", afirmou o delegado Carlos Othon,  da DCCPes.
"Após montar um verdadeiro quebra-cabeça, identificando o suicídio como principal linha de investigação, nossa equipe, delimitou a mata da barreira do Altiplano/Cabo Branco como um possível local de buscas", acrescentou o delegado.
O corpo foi localizado pelo próprio delegado, durante buscas realizadas por equipes da DCCPES. O corpo estava com sinais de suposto enforcamento. No entanto, a Polícia Civil vai aguardar a conclusão da perícia que indicará a real causa da morte.
"Importante ressaltar a presteza e brilhante trabalho realizado pelos bombeiros, utilizando várias técnicas para o resgate do corpo, como rapel, cão farejador e cilindros de oxigênio", declarou o delegado. Após o resgate, o corpo foi levado para o Instituto de Polícia Científica para ser periciado.
CLICK PB