Secretário diz que não negou tratamento de saúde à mulher em Santo André

Share:

O secretário Municipal de saúde, Rosenildo Lopes, enviou nota ao helenolima.com, para explicar reportagem da senhora Feliciana Regina de Araújo, 58 anos, que disse ao portal que a Prefeitura teria se negado a dar um tratamento de saúde, mais precisamente um cateterismo.

"Dos fatos senão vejamos: A paciente foi atendida no dia 15 de janeiro de 2019, na clínica ViverClin situada na cidade de Juazeirinho PB, pelo o profissional Dr Rodrigo Viera, médico cardiologista.

A mesma esteve na Secretaria de Saúde, pedindo para que fosse marcado, porém ao analisar a solicitação médica vimos que o procedimento solicitado estava em um receituário simples da clínica, na qual não é aceito no setor de Regulação da Secretaria de Saúde de Campina Grande, onde está nossa referência na PPI (Programação Pactuada e Integrada).

A mesma foi orientada a voltar ao médico para que o mesmo fizesse a solicitação no formulário especifico denominado de APAC.

Nesse sentido solicitei xerox da prescrição onde consta a solicitação já mencionada e pedir a pessoa responsável pela casa de apoio em Campina Grande, Suane para ir até o consultório particular do médico em campina Grande, para ser preenchido e assinado, fato esse que aconteceu em de 21 de janeiro de 2019, sendo que o médico havia tirado férias e não teve como assinar. 

Ficamos aguardando o mesmo retornar para que assim o APAC fosse assinado e dado entrada no setor de regulação. 

Em 29 de Janeiro fui informado pela Secretária do médico que o mesmo havia retomado suas atividades.

Nesse dia 22 de Fevereiro de 2019 por volta das 17:00 a Sra Feliciana Regina de Araújo retornou a Secretaria com o formulário preenchido e já devidamente cadastrado junto ao Hospital João XXIII, onde necessitava apenas que o médico regulador da Secretaria de Saúde Campina Grande que faz a regulação dos procedimentos especializados autorizar para que o hospital emitisse a nota fiscal no valor de R$ 600,00 (seiscentos reais), que seria a complementação que o município obrigatoriamente precisa fazer, fato esse que em nenhum momento a Secretaria se negou a fazer.

Com Heleno Lima